O Bioma

A Caatinga



A Caatinga é um bioma exclusivamente brasileiro, onde predomina o clima semiárido, e de rica biodiversidade, pois grande parte de seu patrimônio biológico não pode ser encontrado em nenhum outro lugar do planeta.

A Caatinga ocupa uma área de cerca de 850.000 km² do território nacional, estando presente em oito estados da região Nordeste (Pernambuco, Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe) e também no estado de Minas Gerais, na região Sudeste. Pernambuco tem 80% de seu território com predominância da Caatinga, e é nessa região que está concentrada a maior parte da população rural do estado.

Com biodiversidade bastante resiliente e dotada de uma delicadeza própria, a Caatinga se transforma de acordo com o ciclo anual das chuvas. Em épocas de estiagem, a vegetação perde as folhas como estratégia de reduzir a perda de água. Assim, é possível perceber a beleza da Caatinga em épocas de chuvas, com suas folhas verdes e árvores floridas, mas também observar sua beleza e resistência em épocas mais secas.

Entre suas características estão os baixos índices pluviométricos, que giram em torno de 500 mm a 700 mm anuais, e as altas temperaturas, com médias anuais de 27 a 29 graus, além da predominância dos solos rasos e pedregosos, que armazenam pouca água.

O uso insustentável de seus solos e recursos naturais contribui para a degradação da Caatinga ao longo dos anos. Assim como o Cerrado, a Caatinga não é reconhecida como patrimônio nacional. Tramita no Congresso Nacional um Projeto de Lei com o propósito de alterar essa conjuntura.

Organizações com o CAATINGA atuam na defesa do bioma e em sua preservação. Além de propor e executar ações de convivência com o clima semiárido, que significam estratégias adequadas de manejo com o ambiente, consequentemente valorizando o bioma Caatinga e contribuindo para o fortalecimento da agricultura familiar que vive do bioma.

 

REFERÊNCIAS:

GARIGLIO, M.A. [et al] Uso sustentável e conservação dos recursos florestais da caatinga. Brasília: Serviço Florestal Brasileiro/MMA, 2010.

RODRIGUES, A.G. [et al] Sistemas Agroflorestais no Semiárido Brasileiro: estratégias para o combate à desertificação e enfrentamento às mudanças climáticas. Recife: Centro Sabiá/CAATINGA, 2016.

Boletim eletrônico

Cadastre seu e-mail e receba
nosso boletim eletrônico

Nome
E-mail