Mídia

Notícias


Com o tema Sem sede, sem fome. CAATINGA celebra 30 anos Semeando Vida Digna no Semiárido

13/12/2018

por Kátia Rejane

As celebrações pelas três décadas do CAATINGA tiveram início no mês de setembro, durante o encerramento do IV Circuito estudantil de poesias de Ouricuri, com uma feira agroecológica e cultural que promoveu o diálogo campo cidade, através do viés da alimentação saudável.

Durante os meses seguintes, a participação da instituição nas novenas de padroeiros de várias comunidades foi marcada pela leitura da carta dos 30 anos que traz uma reflexão sobre a ameaça da volta da sede e fome ao Brasil e em especial ao Semiárido, provocando a reflexão do momento que vivemos e chamando o povo a se manter na luta e resistência na construção da convivência com a região, garantindo vida digna.

Outro momento marcante, foi um café agroecológico servido aos artistas do território do Araripe, na comunidade da Agrovila Nova Esperança, onde vários artistas, puderam conhecer melhor a produção agroecológica das famílias e se comprometeram a defender e divulgar a importância da agricultura familiar em bases agroecológicas para a economia e alimentação das pessoas do Araripe.

O mês de novembro foi marcado pelo passeio ciclístico, que envolveu mais de 100 pessoas entre homens, mulheres, jovens e crianças que se deslocaram da sede do município de Ouricuri para a comunidade do Teiú, onde puderam saborear um café agroecológico produzido pelo grupo de mulheres da comunidade e suas famílias, foi mais um momento de forte dialogo entre campo e cidade.

Além das atividades planejadas pela comissão de aniversário da instituição, surgiu uma sessão de aplausos promovida pela câmara municipal de vereadores de Ouricuri, a solenidade foi de reconhecimento do trabalho realizado pela a organização durante os 30 anos de existência. E contou com a participação de famílias agricultoras, funcionários/as, sócios/as e parceiros, além de vereadores e vereadoras do município.

“Aplaudir o trabalho do CAATINGA é aplaudir o trabalho da agricultura familiar, é enxergar como uma atividade viável, que precisa de apoio, de investimento, e cada vez menos de políticas compensatórias. A agricultura familiar precisa de políticas públicas, precisa do fortalecimento do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), quase extinto, do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), que o município de Ouricuri executa e tem dado condições das famílias agricultoras acessarem e melhorar suas rendas, precisa ter terra pra produzir, precisa de estruturas para captar e armazenar  água”, afirma Giovanne Xenofonte, Coordenador de Políticas Públicas do CAATINGA.

O dia primeiro de dezembro foi marcado por diversas atividades para fechar o ciclo de celebrações, começando pelo programa de rádio Agricultura Familiar em Debate, produzido pelo CAATINGA, que trouxe sócios e sócias fundadores e parceiros da instituição, com depoimentos emocionantes, ainda pela manhã aconteceu o forró na feira, que reuniu vários forrozeiros e poetas  que defendem a cultura popular nordestina, e a noite uma grande festa fechou com chave de ouro as comemorações. 

Com uma ornamentação que trouxe elementos que marcam as três décadas de sua existência, a festa aconteceu no Restaurante Chico Guilherme e a animação ficou por conta de Ana Paula Nogueira, Elmo Oliveira, Leninho de Bodocó, Tacyo Carvalho e Vital Barbosa

A abertura da festa foi animada pelas jovens: Ana Vitória, Isadora Cardoso, Samara Santana e Vanessa Rodrigues. O CAATINGA trabalha com juventudes e tem interesse em apoiar e promover a sucessão cultura do Araripe. O momento foi de reencontro, celebração e partilha. “É uma grande alegria celebrar com o CAATINGA, esses 30 anos de tanta coisa boa!”, disse Tacyo Carvalho, cantor e compositor. A avaliação dos participantes é que foi uma festa muito bonita e construída por muita gente! 

 


Whatsapp